印刷する
Partilhar

Estudo de Investidores Globais

A noção "melhor do que a média" que o investidor típico tem é uma ameaça à sua capacidade de acumular riqueza?

Os investidores que pensam que sabem mais do que realmente sabem sobre investimentos podem causar problemas quando se trata do seu planeamento financeiro futuro.

12/09/2016

Os investidores poderiam perder milhares de milhões de dólares em retornos de investimento por sobrestimar a sua própria competência em matéria dos seus investimentos.

O Estudo da Schroders sobre Investidores Globais de 2016 concluiu que apenas 13% dos investidores a nível global admite saber menos do que a média em matéria de investimentos. Concluiu que os investidores nos Estados Unidos, no Reino Unido e na Alemanha estavam entre os países mais propensos a sentir-se assim.

51% dos investidores entrevistados a nível global pela Schroders descreveram-se como tendo mais conhecimentos do que o investidor médio – sugerindo excesso de confiança.

Um estudo independente revelou que a crença dos investidores na sua própria competência de investimento tinha-lhes custado aproximadamente 300 mil milhões de dólares em retornos de investimento nos últimos 20 anos.

Um buraco negro de 300 mil milhões de dólares é bastante grande, particularmente quando os investidores estão a acumular riqueza e planeiam a reforma num mundo em que o crescimento é mais lento e as taxas de juro são baixas.

De destacar ainda que 63% dos investidores finais a nível global não foi capaz de identificar corretamente o que faz uma empresa gestora de investimentos.

Investidores de mercados desenvolvidos culpabilizáveis

O Estudo da Schroders sobre Investidores Globais de 2016 concluiu que os investidores na Alemanha, no Reino Unido e nos EUA estavam entre os maiores culpados em termos de autoconfiança relativamente aos seus conhecimentos sobre investimentos.

Investidores em dois dos países mais populosos do mundo também foram responsáveis por sobrestimarem as próprias capacidades. A China e a Índia, onde as classes médias estão em ascensão e a necessidade de melhor planeamento financeiro é crescente, têm ambo uma fé incomparável na sua própria apreciação dos investimentos.

 

 

A arrogância (ou inocência) da juventude

Os resultados do inquérito mostraram também que os investidores "millennials" ou da geração milénio, com idades entre os 18 e 35 anos, estão ainda mais inclinados para o excesso de confiança do que os investidores com 36 ou mais anos. Entre os millennials, 61% descreviam-se como mais entendedores do assunto do que o investidor médio e esta percentagem era de 45% nos que tinham 36 anos ou mais.

Isso pode ser crucial para o seu futuro planeamento financeiro e capacidade para constituir património.

Uma impossibilidade estatística

A noção de que somos melhor do que média é habitual. As conclusões do Estudo da Schroders sobre Investidores Globais de 2016 faz eco de um estudo psicológico sueco dos anos 80 que examinava a atitude relativamente à capacidade para conduzir. Concluiu que mais de três quartos das pessoas classificavam-se a si próprias na metade superior dos condutores.

O estudo da Schroders mostra que pouco mais de metade dos investidores a nível global (51%) julgam que têm um conhecimento ligeiramente ou muito superior sobre investimentos do que o investidor médio.

Porque é que isto é importante para os seus objetivos financeiros

O Estudo da Schroders sobre Investidores Globbais de 2016 concluiu também que os investidores têm expetativas potencialmente irrealistas relativamente ao rendimento que irão receber dos investimentos.

Em média, os investidores esperam um rendimento de 9,1%. Este acontece num momento em que as obrigações dos mercados mais desenvolvidos estão a pagar retornos próximos de zero e a rentabilidade das ações está próxima dos 3%.

Esta expetativa de rendimento sustenta a conclusão do estudo de que os investidores têm uma crença excessiva nos investimentos e de que tal pode contribuir para uma insuficiência no seu planeamento financeiro de longo prazo.

A Dalbar, uma empresa de pesquisa de mercado sedeada em Boston que mede e avalia as práticas das empresas de serviços financeiros, concluiu que, ao longo dos últimos 20 anos, os investidores particulares em ações tiveram um desempenho abaixo do mercado em quase 300 mil milhões de dólares.

A Dalbar concluiu que a principal causa da redução dos retornos foi o próprio comportamento dos investidores, tal como a venda em situação de pânico e a compra exuberante em momentos errados.

Uma noção desadequada das suas próprias competências em matéria de investimento pode fazer ruir os próprios planos de longo prazo, implicando que os investidores fiquem aquém dos seus objetivos e sejam forçados a lutar com unhas e dentes para recuperar a diferença mais tarde ou a trabalhar até mais tarde.

Numa nota positiva, os investidores ainda estão recetivos a aprender mais.

Para consultar o artigo completo e fazer uma visita infográfica interativa, vá a www.schroders.pt/gis ou descarregue o relatório completo em baixo.

Pode testar os seus conhecimentos de investimento com a nossa ferramenta QI de rendimento, que irá revelar o seu desvio comportamental e fornecer sugestões úteis para capacitá-lo a tomar melhores decisões de investimento.

Notas: Acerca do Estudo da Schroders sobre Investidores Globais de 2016

A Schroders encarregou a Research Plus Ltd de realizar, entre 30 de março e 25 de abril de 2016, um estudo independente online a 20.000 investidores em 28 países no mundo inteiro, incluindo Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, Países Baixos, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. Esta investigação define "investidores" como aqueles que investirão pelo menos 10.000 euros (ou o equivalente) nos próximos 12 meses e que fizeram alterações nos seus investimentos nos últimos cinco anos. Estas pessoas representam as opiniões de investidores em cada país incluído no estudo.

Informação Importante: Este documento tem apenas fins informativos e não pretende servir de material promocional, qualquer que seja o sentido. O documento não pretende ser uma oferta ou solicitação para a compra ou venda de qualquer instrumento financeiro. O documento não se destina a fornecer, e não deverá ser considerado como um aconselhamento contabilístico, jurídico ou fiscal, ou como uma recomendação de investimento. A informação é fiável mas a Schroders não garante a sua plenitude e precisão. Nenhuma responsabilidade pode ser aceite em caso de erros, factos ou opiniões. Os pontos de vista e a informação constantes do documento não devem servir de base para o investimento individual e/ou decisões estratégicas. O desempenho anterior não é um indicador confiável dos resultados futuros. O valor das ações e a renda podem cair ou crescer e os investidores podem não receber a quantidade originalmente investida. Emitido por Schroder Investment Management Limited, 31, GreshamStreet, London, EC2V7QA, I autorizada e regulada pela Financial Conduct Authority. Para sua segurança, as comunicações podem ser gravadas ou monitorizadas.
Os dados de terceiros são detidos ou licenciados pelo fornecedor dos dados, não podendo ser reproduzidos ou extraídos e utilizados para qualquer outro fim sem o consentimento do fornecedor dos dados. Os dados de terceiros são fornecidos sem garantias de qualquer tipo. O fornecedor dos dados e o emitente do presente documento declinam qualquer responsabilidade relacionada com os dados de terceiros. O Prospeto e/ou ww.schroders.pt contêm exonerações de responsabilidade adicionais aplicáveis aos dados de terceiros.

Read the full report

8 pages | 340 kb

DOWNLOAD

Topics:

  • Global
  • Global Investor Study
  • Global Investor Study - Investor Engagement