In focus

Global Investor Study

Menos de 20% dos investidores manteve a calma durante a queda dos mercados acionários em 2018


David Brett

David Brett

Investment Writer

Apenas 18% dos investidores mantiveram seus planos de investimento de longo prazo durante a turbulência do mercado ocorrida no ano passado de acordo com o Schroders Global Investor Study.
 
 
2018 foi um ano difícil para os investidores, com quedas acentuadas nos mercados acionários globais testando os nervos dos investidores. Uma nova pesquisa global revelou que apenas 18% dos investidores declararam ter mantido seus planos de investimento durante a volatilidade do último trimestre de 2018.
 
Os resultados integram o Schroders Global Investor Study 2019, que avaliou as opiniões de mais de 25.000 investidores em 32 países.
 
A maioria (70%) dos investidores relatou ter realizado alterações no perfil de risco da carteira durante esse período. Deste total, pouco mais de um terço (35%) assumiu mais risco; enquanto a maioria (56%), migrou para investimentos de risco mais baixo (36%) ou disponibilidades (20%). Já 9% dos investidores realizaram alterações em suas carteiras, mas mantiveram o perfil de risco inalterado.
 
287130_SGIS_2019_TH1Article1_2PTBR01.png
 
 
Fonte: Schroders Global Investor Study 2019 : Nos últimos três meses de 2018, o índice MSCI World de ações globais sofreu uma drástica queda em meio a preocupações com a economia global. Que alterações você fez em sua carteira de investimentos em resposta direta a esse período de volatilidade do mercado?
 
Por outro lado, apesar dos ajustes, muitos investidores manifestaram frustração com o desempenho de suas carteiras. Mais da metade dos investidores (51%) afirmou que não conseguiu alcançar os objetivos com seus investimentos nos últimos cinco anos e muitos atribuíram sua própria ação ou inércia como a principal causa desse fracasso.
 
A incerteza durante o período em questão foi muito acentuada. As ações globais sofreram a pior queda trimestral em sete anos no final de 2018 em meio a preocupações econômicas em todo o mundo, impulsionadas pela escalada na guerra comercial entre EUA e China. O índice MSCI World caiu 13,9%, a 11ª pior queda trimestral desde 1970.

Agitação no mercado de ações: A alta seguida de queda das ações globais no terceiro trimestre de 2018

market-rise-fall-global-stocks-cs1582-770px_noTitle.jpg
 
Fonte: Schroders. Dados da Refinitiv relativos ao índice de preços MSCI World corretos em 12 de junho de 2019.
 
 
Claire Walsh, Diretora de Finanças Pessoais da Schroders, afirmou: “Ninguém gosta de perder dinheiro e, por isso, não surpreende que quando os mercados caem, os investidores fiquem nervosos. A pesquisa mostrou repetidas vezes que os investidores sentem a dor da perda com muito mais intensidade do que o prazer dos ganhos. Isso pode afetar a tomada de decisões”.
 
“Nosso estudo mostra que apenas três meses de instabilidade nos mercados levaram muitos investidores a fazer alterações no que deveriam ser planos de investimento de longo prazo. Isso poderia induzi-los a cometer erros clássicos de investimento. Entre esses erros estão a venda no período de maior baixa, quando a situação está ruim, ou a conversão do capital em disponibilidades na tentativa de proteger seu patrimônio, mas mantendo-o nessa condição por muito tempo e podendo ser devorado pela inflação ao longo do tempo”.
 
“Esses são fatores psicológicos que o mercado de investimentos classifica como ‘finanças comportamentais’. Em última análise, é difícil prever o que os mercados farão, mas ter mais consciência das tendências que podem afetar suas decisões é uma boa maneira de ajudar a preservar o patrimônio”.

A dificuldade de dominar o ritmo do mercado


As constatações do Global Investor Study sugerem que os investidores tentam ganhar tempo no mercado. Comprar na baixa e vender na alta é o objetivo de todo investidor. No entanto, todos sabem que dominar o ritmo do mercado com exatidão é algo difícil, se não impossível.
 
Pesquisas anteriores realizadas pela Schroders mostram o quanto um descompasso pode ser oneroso.
Por exemplo, se em 2003 você tivesse investido US$ 1.000 no MSCI World e deixado o investimento inalterado pelos 15 anos seguintes, ele hoje valeria US$ 4.211. (Tenha em mente, claro, que o desempenho passado não é garantia de retornos futuros).
 
Contudo, se você tentasse sincronizar sua entrada e saída do mercado durante esse período e perdesse os 30 melhores dias do índice, o mesmo investimento agora valeria US$ 1.268, ou US$ 2.943 menos.
 

Investidores mantêm seus investimentos durante 2,6 anos em média

O Schroders Global Investor Study 2019 também revelou que os investidores tendem a adotar uma visão de relativo curto prazo. Em média, as pessoas permanecem em um investimento durante 2,6 anos antes de transferir seus recursos para outro lugar ou resgatá-los.
287130_SGIS_2019_TH1Article1_2PTBR02.png
 
Fonte: Schroders Global Investor Study 2019 : Excluindo pensões e investimentos imobiliários que você possa ter, em média, considerando que você tenha colocado recursos em um produto de investimento, durante quanto tempo você permanece investido (antes de transferir o investimento para outro lugar/resgatá-lo)?
 
Apenas 13% dos investidores disseram que permaneceram investidos pelo mínimo de cinco anos recomendado com frequência pelos consultores financeiros, enquanto 41% afirmaram que permanecem investidos por um ano ou menos.
 
“De modo geral, quanto mais tempo você investe, mais tempo você tem para superar percalços no caminho, motivo pelo qual recomenda-se que o investimento seja feito por um período mínimo de cinco anos”, explica Walsh.
 
“É um pouco preocupante que uma parcela tão grande dos investidores não faça isso. As pessoas têm diferentes objetivos de investimento, como comprar uma casa ou investir na aposentadoria. Entretanto, se seus objetivos são realmente de curto prazo, como, por exemplo, comprar um carro, talvez uma opção melhor seja poupar em contas de depósito”.
 
A Schroders contratou a Research Plus Ltd para realizar uma pesquisa virtual independente com 25.743 investidores em 32 países de todo o mundo, com trabalho de campo realizado entre 4 de abril e 7 de maio de 2019. Essa pesquisa define “investidores” como pessoas que investirão pelo menos € 10.000 (ou o equivalente) nos próximos 12 meses e que fizeram mudanças em seus investimentos nos últimos 10 anos; esses indivíduos representam as opiniões dos investidores de cada país abrangido na pesquisa.