印刷する Partilhar

In focus - Estudo de Investidores Globais

Como os investidores querem que os gestores de fundos atuem

Os gestores de fundos devem priorizar as questões ambientais ao interagir com as empresas, de acordo com um inquérito a mais de 25.000 investidores

17/09/2019

David Brett

David Brett

Investment Writer

Os investidores consideraram o ambiente - e as alterações climáticas - como a área mais importante para os gestores de fundos se concentrarem quando estão a influenciar o comportamento das empresas.

As conclusões fizeram parte do Estudo de Investidores Globais (GIS) 2019 da Schroders, que recolheu a opinião de mais de 25.000 investidores em 32 locais em todo o mundo.

A pesquisa também mostrou que a maioria dos investidores acredita que os gestores de fundos devem investir automaticamente de forma sustentável. Quase dois terços dos investidores (61%) afirmaram que todos os fundos de investimento devem contemplar fatores de sustentabilidade; não apenas os especificamente concebidos como “fundos de investimento sustentáveis”.

Dada uma série de opções (mostradas abaixo), os investidores afirmaram que “proteger o planeta da degradação”, incluindo a tomada de medidas urgentes quanto às alterações climáticas, deve ser uma prioridade quando os gestores de fundos se envolvem e influenciam as empresas.

Jessica Ground, Diretora Global de Gestão de Recursos na Schroders, afirmou: “Os resultados deste estudo devem ser atendidos. O setor de gestão de ativos cuida de $74 biliões* em nome dos investidores.

“É, portanto, essencial que os gestores de fundos ouçam o que os investidores desejam e ajam nesse sentido – em todas as conversas com as empresas, em cada reunião e em cada decisão de investimento.”

Metas de sustentabilidade

Os investidores foram questionados sobre quais são os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ONU) que consideram mais importantes para os gestores de fundos abordarem e influenciarem as empresas.

Proteger o planeta da degradação está no topo na Europa e nas Américas, bem como globalmente. Isso talvez não seja surpreendente, dado que 63% dos investidores a nível global também pensam que as alterações climáticas terão um impacto sobre os seus investimentos.

Proteger o planeta foi a segunda escolha entre os investidores asiáticos. Estes dão prioridade a assegurar que todos possam ter vidas prósperas e gratificantes e que o progresso económico, social e tecnológico se proceda em harmonia com a natureza. Globalmente, “Pessoas” e “Paz” (definições completas na tabela abaixo) ficaram em terceiro e quarto lugar, respetivamente, na lista de prioridades.

CS1778_T2_Article2_Sust_PT.jpg

Devem todos os fundos considerar fatores de sustentabilidade?

Também foi perguntado aos investidores se todos os fundos de investimento devem contemplar fatores de sustentabilidade, não apenas os especificamente concebidos como “fundos de investimento sustentáveis”. Em termos regionais, os investidores asiáticos (66%) foram os mais favoráveis a que todos os fundos de investimento considerem fatores de sustentabilidade. O número mais baixo foi registado na Europa (58%) mas a maioria ainda concordou. Quase dois terços (63%) dos investidores nas Américas são a favor das considerações sustentáveis por defeito.

CS1778_T2_Article2_Should_PT.jpg

Os investidores querem a “melhor possível”

Os investidores também foram questionados sobre as várias abordagens ao investimento sustentável. As definições para cada uma são apresentadas no gráfico abaixo, juntamente com os resultados.

Para atingir os seus objetivos, os investidores afirmaram que uma abordagem “responsável” ou a melhor possível é o método mais importante (40%) ao investir de forma sustentável.

Uma abordagem “integrada” (39%) foi o método seguinte mais importante seguido por uma abordagem “triada” (que evita ações de empresas controversas – ou “sin stocks”), que era a menos provável de ser considerada a mais importante (21%).

A abordagem responsável foi a preferida nas Américas (42%) e Europa (40%), enquanto os investidores asiáticos (47%) preferiram uma abordagem integrada.

CS1778_T2_Article2_Most_PT.jpg

Jessica Ground, da Schroders, disse que era importante para a indústria registar que a maioria dos investidores pretende que os fatores ESG (ambientais, sociais e de governo) sejam contemplados por todos os fundos.

“Os clientes são claros que não querem investimentos que operem num vácuo, a maioria procura a integração de ESG como padrão”, afirmou Ground.

“Eles também querem que os gestores de ativos responsabilizem as empresas, especialmente no que diz respeito a questões como as alterações climáticas e a escassez de água.

“É por isso que definimos o objetivo de que todos os investidores da Schroders se vão sistematicamente integrando e envolvendo nas questões ESG até ao final do próximo ano.”

* Fonte: O valor global dos ativos sob gestão era de 74,3 milhões de milhões de dólares no final de 2018 - Boston Consulting Group. Publicado em julho de 2019.

- Leia mais sobre como a sustentabilidade procura proporcionar valor a longo prazo num mundo em rápida mudança.

A Schroders encomendou à Research Plus Ltd a realização de um inquérito online independente a 25.743 investidores em 32 locais em todo o mundo, com trabalho de campo realizado entre 4 de abril e 7 de maio de 2019. Este estudo define "investidores" como aqueles que investirão pelo menos 10.000 euros (ou o equivalente) nos próximos 12 meses e que fizeram alterações nos seus investimentos nos últimos 10 anos. Estas pessoas representam as opiniões dos investidores em cada país incluído no estudo.