印刷する Partilhar

In focus - Estudo de Investidores Globais

Os investidores estimam retornos de 10,7% – a geração Y (Millennials) espera mais

Globalmente, os investidores estão extremamente otimistas no que se refere às suas expetativas de retornos nos próximos anos, segundo o Estudo de Investidores Globais 2019 da Schroders.

01/07/2019

De acordo com um novo e importante estudo global, os investidores esperam um retorno anual total de 10,7% nos próximos cinco anos.
 
Em termos de regiões, as expectativas sobre os retornos foram mais elevadas nas Américas, com 12,4%. Na Ásia, os investidores esperam 11,5% e o número mais baixo foi na Europa (9,0%).
 
Os retornos incluem o crescimento do capital, bem como qualquer rendimento pago sob a forma de dividendos e juros de uma variedade de investimentos, incluindo liquidez, obrigações, fundos imobiliários e ações.
 
As conclusões fizeram parte do Estudo de Investidores Globais (GIS) 2019 da Schroders, que recolheu a opinião de mais de 25.000 investidores em 32 países. As expectativas foram superiores às do estudo de 2018, quando a previsão era de 9,9% ao ano.
 
As expetativas dos investidores parecem otimistas. Por exemplo, nos últimos cinco anos, o retorno anual das ações globais, medido pelo índice MSCI World, foi de 6,7%. A longo prazo, o Barclays Equity-Gilt Study mostra que até os retornos do mercado acionista durante mais de 100 anos foram de 5% ao ano. O desempenho histórico dos mercados não constitui um guia para os retornos futuros.
 
A nível nacional, os investidores na Argentina esperam, em média, os retornos mais altos, 15,8% ao ano. As expectativas noutros países emergentes também são elevadas, com os investidores na Indonésia (15,5%), Brasil (14,9%), Tailândia (15,0%) e Índia (14,3%) à procura, todos eles, de obter retornos anuais médios superiores a 14% até 2024.
 
Os resultados dos investidores dos EUA refletem um acentuado aumento do otimismo. Eles esperam retornos anuais de 10,3% durante os próximos cinco anos, acima dos 8,5% no estudo de 2018.
 
Na Europa, os investidores russos esperam o retorno mais elevado, na ordem dos 12,5%. Todavia, a região da Europa como um todo perspetiva um retorno mais baixo (9,0%), com a Bélgica a registar a expetativa mais baixa (6,5%).
 
Adiante encontra-se a lista completa dos países e expetativas médias de retorno anual do investimento para os próximos cinco anos. A mesma lista mostra o desempenho histórico dos mercados acionistas de cada país.
 
Globalmente, as expetativas de retorno dos investidores para os próximos cinco anos são superiores aos retornos alcançados em quase todos os países nos últimos cinco anos.
 
Apenas a Rússia, a Dinamarca e os Países Baixos apresentam expetativas inferiores ao desempenho real dos últimos anos.

Retornos médios anuais esperados para os próximos cinco anos versus retornos anuais médios reais do índice MSCI em cinco anos

País Retornos anuais esperados pelos investidores durante os próximos cinco anos Retornos anuais reais das bolsas de valores 2014-2019 (%)
Argentina 15,8% 0,9%
Indonésia 15,5% 5,7%
Tailândia 15,0% 7,1%
Brasil 14,9% 12,8%
Índia 14,3% 9,6%
EAU 13,8% -7,1%
África do Sul 13,8% 4,6%
México 13,4% 1,7%
Rússia 12,5% 15,8%
China 11,7% 7,0%
Chile 11,6% 2,6%
Austrália 10,9% 7,7%
Polónia 10,7% 0,2%
Taiwan 10,7% 7,0%
Suécia 10,5% 7,5%
Portugal 10,4% -1,2%
EUA 10,3% 10,3%
Coreia do Sul 9,8% 3,0%
Singapura 9,7% 3,2%
Suíça 9,6% 6,2%
Hong Kong 9,6% 8,0%
Reino Unido 9,3% 5,0%
Espanha 9,2% 0,8%
França 9,1% 7,3%
Países Baixos 9,0% 11,0%
Canadá 8,9% 5,6%
Dinamarca 8,3% 8,6%
Itália 8,1% 1,7%
Japão 8,0% 7,1%
Áustria 8,0% 5,0%
Alemanha 6,8% 4,1%
Bélgica 6,5% 4,8%

Fonte: Estudo de Investidores Globais 2019 da Schroders. Dados dos retornos anuais do mercado acionista entre 27 de maio de 2014 e 27 de maio de 2019 da Refinitiv corrigidos em 28 de maio de 2019. Este material não se destina a fornecer qualquer tipo de aconselhamento. As informações contidas neste documento são consideradas fiáveis, mas a Schroders não garante a integralidade ou exatidão das mesmas. O desempenho passado não é garantia de desempenho futuro.
 

Expetativas de rendimento alarmantes 

Também se perguntou aos investidores sobre as suas expetativas de rendimento, com resultados surpreendentes.
 
Globalmente, o investidor médio espera um rendimento de 10,3% nos 12 meses seguintes. Isto é apenas ligeiramente mais baixo do que as expetativas médias de retorno total. Entre os países, o valor mais alto é na Índia, em 15,1%, e o mais baixo no Japão, 5,8%. As expetativas de rendimento dos investidores na Rússia (11,4%), Indonésia (13,5%) e Brasil (13,0%) também são particularmente elevadas para o respetivo continente.

Por geração, a geração Millennials tinha a maior expectativa de rendimento, nos 11,7%, enquanto a “Geração Silenciosa” (pessoas nascidas entre 1925 e 1945) tinham a mais baixa, nos 6,2%.

  Global Américas Ásia Europa
Expetativa média de rendimento 10,3 10,8 10,4 9,6

Fonte: Estudo de Investidores Globais 2019 da Schroders.

  Millennials (18-37) Geração X (38-50) Baby Boomers (51-70): Geração Silenciosa (71+)
Níveis desejados de rendimento 11,8 10,8 8,4 6,9
Expectativa de rendimento durante os próximos 12 meses 11,7 10,2 7,5 6,2

Fonte: Estudo de Investidores Globais 2019 da Schroders.
 
Rupert Rucker, Diretor das Soluções de Rendimento na Schroders, afirmou: “Os resultados são surpreendentes. Os investidores não só têm esperanças excecionalmente elevadas quanto ao retorno total que irão receber como também acreditam que conseguem obter um nível de rendimento que quase coincide com esse valor.
 
“Há um conjunto de situações a apontar. Em países como a Índia e Argentina, onde as taxas de juro nacionais são muito superiores às médias globais, não surpreende que os retornos esperados sejam alguns dos mais altos do mundo.
 
“Há também algo a registar sobre as respostas oferecidas por diferentes gerações. Parece que os investidores menos experientes – nos seus 20 e 30 anos – são muito mais otimistas do que, por exemplo, os investidores da geração “baby boom”, mais experientes.
 
“Mas até mesmo a esperança de 7,5% de rendimento do típico investidor “baby boomer” ao longo dos próximos 12 meses é uma ambição ousada. O problema é que muitos investidores foram condicionados a esperar os elevados níveis de rendimento que têm sido a regra durante décadas, mas agora estamos numa época de taxas de juro persistentemente baixas.
 
“A realidade é que os retornos do mercado acionista a longo prazo excederam aquilo que se poderia obter de depósitos bancários e títulos de dívida pública similares. Pensamos que esta situação irá persistir num futuro próximo.”
 
“Os investidores “especializados” esperam retornos totais ainda maiores
 
Os investidores que avaliaram o seu nível de conhecimento em investimentos como sendo “avançado” ou “especializado” esperam retornos totais de 12,2% ao ano durante os próximos cinco anos.
 

Os investidores que se classificam como “principiantes” ou “rudimentares” esperam uns 8,2% mais modestos.

  Nível de conhecimento
Total de retornos anuais esperados pelos investidores Todos Principiante / Rudimentar Intermédio Especializado / Avançado
Global 10,7 8,2 10,1 12,2
Europa 9,0% 6,7 8,1 10,4
Ásia 11,5 8,5 11,2 13,9
Américas 12,4 9,7 11,9 13,9

Fonte: Estudo de Investidores Globais 2019 da Schroders
 

De que forma a idade afeta as expectativas

Á semelhança do padrão para os retornos, as gerações mais jovens também têm expectativas mais ousadas para os seus investimentos do que as gerações mais velhas.
 
Os investidores da geração Millennials acreditam que podem obter um retorno anual de 11,5% nos próximos cinco anos, ligeiramente acima dos 11,0% que previam no estudo de 2018. As expectativas foram baixando em cada geração: a Geração X (idades entre os 38 e os 50 anos) espera 10,8%; a geração Baby Boomers (idades entre os 51 e os 70) espera 9,0%; aqueles com 71 anos e mais esperam retornos anuais de 7,8%.
 
Claire Walsh, Diretora de Finanças Pessoais na Schroders, afirmou: “O estudo revela que os mais jovens esperam retornos mais elevados dos seus investimentos. Isso pode dever-se parcialmente ao seu horizonte temporal de investimento. Em teoria, eles têm mais tempo do seu lado e, portanto, poderiam estar dispostos a correr mais risco sabendo que ainda têm tempo para recuperar de quaisquer perdas. No entanto, suspeito que isto se deve possivelmente ao facto de os jovens não terem tanta experiência de investimento. Ou alguns apenas terão conhecido fortes retornos do mercado de ações e podem ter sido influenciados por isto nas suas respostas.
 
“De um modo geral, as gerações mais velhas são mais avessas ao risco e é provável que se concentrem mais em proteger os seus investimentos para a reforma. Assumir menos riscos significa, geralmente, aceitar retornos inferiores.
 
“Também é interessante notar que os investidores “especializados” esperam retornos de 12%, uma expetativa muito superior à dos principiantes. Isto poderia ser um sinal de confiança injustificada e um sinal de que ter poucos conhecimentos pode ser algo perigoso.
 
“Quer se seja mais velho ou jovem, principiante ou especializado, as expectativas de retorno parecem preocupantemente elevadas. Muitos investidores podem apanhar um grande susto.”
 
 
Notas:
Em abril de 2019, a Schroders encomendou à Research Plus Ltd a realização de um inquérito online independente a 25.743 investidores de 32 países em todo o mundo. Esses países incluíram Austrália, Brasil, China, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, Países Baixos, Espanha, Reino Unido e EUA. O estudo define "investidores" como aqueles que investirão pelo menos 10.000 euros (ou o equivalente) nos próximos 12 meses e que fizeram alterações nos seus investimentos nos últimos 10 anos.