Estudo de Investidores Globais

Os investidores preveem retornos de 9,9% - os millennials esperam mais

De acordo com um novo e importante estudo global, os investidores esperam um retorno anual de 9,9% nos próximos cinco anos.

03/12/2018

David Brett

David Brett

Investment Writer

De acordo com um novo e importante estudo global, os investidores esperam um retorno anual de 9,9% nos próximos cinco anos. 

A nível regional, as expectativas mais elevadas sobre os retornos registaram-se na Ásia, com 11,8%. Nas Américas, os investidores disseram esperar 10,2% e o número mais baixo registou-se na Europa com 8,6%.

Os retornos, com base na expectativa média de mais de 22.000 investidores, incluem o crescimento do seu dinheiro, bem como qualquer rendimento pago sob a forma de dividendos e juros a partir de uma variedade de investimentos, incluindo liquidez, obrigações, fundos imobiliários e ações. As expectativas diminuíram ligeiramente desde o estudo de 2017, quando a previsão era de 10,2% ao ano. 

As conclusões fizeram parte do Estudo de Investidores Globais (GIS) 2018 da Schroders, que avaliou a opinião de investidores em 30 países.

As expectativas dos investidores  revelam uma atração particularmente forte pelas ações e refletem os retornos alcançados pelas bolsas de valores globais nos últimos cinco anos. O MSCI World Index, por exemplo, teve um retorno de 12,2% ao ano desde 2013. O desempenho histórico dos mercados não constitui um guia para os retornos futuros. 

A nível nacional, os investidores na Indonésia esperam, em média, os retornos mais altos, 16,8% ao ano. As expectativas noutros países emergentes também se mostraram elevadas, com investidores no Brasil, China, Tailândia e Índia à procura, todos eles, de obter retornos anuais médios superiores a 13% até 2023.

Os investidores dos EUA esperam retornos anuais de 8,5% durante os próximos cinco anos. Na Europa, os investidores russos esperam um retorno mais elevado na ordem dos 13,0%. No entanto, a região como um todo espera um retorno muito menor, com a expectativa mais baixa a ser registada na Bélgica com 7,0% (em termos regionais e mundiais).

Em baixo encontra uma lista completa de países e as suas médias de retorno anual sobre o investimento esperado nos próximos cinco anos, em comparação com os retornos apenas para as bolsas de valores nos últimos cinco anos.

Focamo-nos nas ações por causa do maior risco e retornos potencialmente mais elevados. Ao fazê-lo, sobressai o nível de otimismo entre os investidores, tendo em conta que as suas expectativas são baseadas numa carteira de investimentos mistos e poupanças, o que pode proporcionar rendimentos inferiores. O investidor médio detém 33% em ações, 18% em obrigações, 25% em liquidez, 12% em fundos imobiliários e 11% em investimentos alternativos.

As expectativas de retorno global dos investidores excedem facilmente até mesmo os retornos das bolsas de valores em alta alcançados na maioria dos países nos últimos cinco anos, conforme se mostra aqui.

Retornos anuais médios esperados nos próximos cinco anos versus retornos anuais médios reais do índice MSCI nos últimos cinco anos 

  País Retornos anuais esperados pelos investidores ao longo dos próximos cinco anos (%) Retornos anuais reais das bolsas de valores 2013-2018 (%) Diferença entre retornos esperados e retornos reais (%)
1 Indonésia 16.8 8.5 8.3
2 Tailândia 15.5 8.1 7.4
3 Brasil 14.5 9.1 5.4
4 Índia 13.7 12.9 0.8
5 EAU 13.3 4.8 8.5
6 China 13.1 8.0 5.1
7 Rússia 13.0 -0.4 13.4
8 África do Sul 12.8 4.4 8.4
9 Chile 12.4 4.4 8.4
10 Taiwan 11.6 10.7 0.9
11 Polónia 10.9 11.0 -0.1
12 Portugal 10.1 1.8 8.3
13 Hong Kong 9.3 7.9 1.4
14 Austrália 9.2 7.8 1.4
15 Singapura 9.1 12.1 -3.0
16 Espanha 9.1 3.8 5.3
17 Japão 8.9 9.9 -1.0
18 Suécia 8.9 9.3 -0.4
19 Dinamarca 8.8 12.4 -3.6
20 EUA 8.5 13.1 -4.6
21 Países Baixos 8.3 5.4 2.9
22 Áustria 8.2 7.1 1.1
23 Coreia do Sul 8.1 7.2 0.9
24 Reino Unido 8.1 6.8 1.3
25 Canadá 7.9 7.3 0.6
26 Alemanha 7.8 7.0 0.8
27 França 7.6 9.0 -1.4
28 Itália 7.5 5.1 2.4
29 Suíça 7.4 5.6 1.8
30 Bélgica 7.0 7.6 -0.6

Fonte: Estudo de Investidores Globais 2018 da Schroders. Dados da Thomson Reuters Datastream corretos em 3 de outubro de 2018. Os retornos do MSCI Index a cinco anos entre 1 de outubro de 2013 e 1 de outubro de 2018 são baseados na moeda local.

Os investidores “especializados” esperam retornos ainda maiores

Os investidores que avaliaram o seu nível de conhecimentos sobre investimento como sendo “avançado/especializado” esperam retornos de 10,9% por ano, ao longo dos próximos cinco anos.

Os investidores que consideram o seu nível de conhecimentos sobre investimento como sendo "principiante/rudimenta" esperam um rendimento mais modesto de 8,8%. Os investidores “intermédios” esperam 9,7%.

Retornos anuais esperados com base nos conhecimentos sobre investimento

  Américas Ásia Europa Global
Avançado/especializado 10.2 13.6 9.8 10.9
Intermédio 10.5 11.6 8.2 9.7
Principiante/rudimentar 9.6 10.0 7.1 8.8
Média 10.2 11.8 8.6 9.9

Fonte: Estudo de Investidores Globais 2018 da Schroders.

De que forma a idade afeta as expectativas

As gerações mais jovens tinham expectativas mais ousadas para os seus investimentos. A geração "Millennials", definida neste estudo como aquela com idades entre os 18 e os 36 anos, acreditava que obteria um retorno anual de 11,0% ao longo dos próximos cinco anos.

As expectativas foram baixando em cada geração: a Geração X (idades entre os 37 e os 50 anos) esperava 10,0%; a geração Baby Boomers (idades entre os 51 e os 70) esperava 8,8%; aqueles com 71 anos e mais esperavam retornos anuais de 7,1%.

Claire Walsh, Diretora de Finanças Pessoais na Schroders, afirmou: “A diferença nas previsões poderá, em parte, ser explicada por atitudes face ao risco. Os investidores mais jovens tendem a ter um prazo mais longo à sua frente, o que significa que podem ter mais dinheiro investido em ativos de alto risco, de retorno elevado. Em contraste, aqueles que estão próximos da reforma ou que já estão reformados poderão preferir deter investimento de menor risco e retorno mais baixo. Eles são muito mais sensíveis a quedas repentinas no valor dos seus investimentos.

“Também se deve salientar que muitos da geração "Millenials" eram jovens quando ocorreu a crise financeira. Na década que se seguiu, houve um período tão longo de crescimento que não é surpreendente os investidores mais jovens serem tão otimistas quanto ao desempenho futuro dos investimentos.”

O estudo sustenta esta opinião, destacando uma clara correlação entre idade e risco. Entre os investidores que se identificam como “especializados/avançados”, a tendência foi muito clara. A faixa etária dos 18-24 mantém em média 27% da sua carteira em investimentos de alto risco. Esta percentagem diminui consistentemente em cada faixa etária subsequente, atingindo o seu mínimo nuns meros 20% para os investidores “especializados/avançados” com mais de 65 anos.

Que proporção da carteira é que os investidores “especializados/avançados” colocam em investimentos de alto risco?

  18-24 25-34 35-44 45-54 55-64 65+
Percentagem da carteira em investimentos de alto risco 27% 26% 25% 22% 21% 20%

O que é que os analistas preveem para retornos futuros? 

Os retornos são notoriamente difíceis de prever, mas as previsões da equipa de investimento Multiativos da Schroders sugerem um retorno de 5,6% para as ações globais ao longo dos próximos 10 anos. 

As previsões, evidentemente, não devem servir de base para o planeamento financeiro. Na verdade, elevadas expectativas de retorno podem suscitar preocupações entre os responsáveis pelo planeamento financeiro. O estudo também mostrou que a principal razão para a poupança era ter uma vida confortável durante a reforma. Esses planos poderiam não se concretizar caso os retornos sejam inferiores ao esperado.

Expectativas de rendimento

Os investidores também foram inquiridos quanto à sua atitude face ao rendimento. Quando lhes foi perguntado qual o nível de rendimento que gostariam de alcançar, e não o que eles esperavam alcançar, a resposta média foi de 10,1%.

Isto referiu-se apenas aos juros e dividendos pagos por investimentos, não aos aumentos de valor, e excluiu as poupanças em dinheiro ou o imobiliário. [Leia a história completa]

As previsões incluídas não devem servir de base a decisões, não são garantidas e referem-se apenas à data de emissão. As nossas previsões baseiam-se nos nossos próprios pressupostos, que podem sofrer alterações. Não aceitamos qualquer responsabilidade por erros de facto ou de opinião e não assumimos qualquer obrigação de lhe facultar quaisquer alterações aos nossos pressupostos ou previsões. As previsões e pressupostos podem ser afetados por fatores económicos externos ou outros fatores.

Informação importante:

A Schroders encarregou a Research Plus Ltd de realizar, entre 20 de março e 23 de abril de 2018, um estudo independente online a 22 338 investidores em 30 países espalhados pelo mundo, incluindo Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, Países Baixos, Espanha, Reino Unido e EUA. Este estudo define "investidores" como aqueles que investirão pelo menos 10.000 euros (ou o equivalente) nos próximos 12 meses e que fizeram alterações nos seus investimentos nos últimos dez anos. Estas pessoas representam as opiniões de investidores em cada país incluído no estudo.