印刷する Partilhar

In focus - Estudo de Investidores Globais

“A Geração X preocupa-se mais com a sustentabilidade do que a Geração Y”

A Geração X tem maior propensão do que a Geração Y para considerar fatores de sustentabilidade ao investir, concluiu o Estudo de Investidores Globais 2019 da Schroders.

17/09/2019

David Brett

David Brett

Investment Writer

A Geração X – definida como as pessoas entre os 38 e os 50 anos de idade – parece mais motivada a investir de forma sustentável do que a Geração Y (os Millennials).

Novas pesquisas concluíram que 61% da Geração X considera sempre fatores de sustentabilidade ao selecionar um produto de investimento, em comparação com 59% da Geração Y, aqueles que têm entre 18 e 37 anos de idade.

Metade (50%) dos Baby Boomers (51 a 70 anos) afirma que sempre contemplou fatores de sustentabilidade, contra 40% da Geração Silenciosa (mais de 71 anos de idade). A média para todos os investidores é de 57%.

As conclusões fizeram parte do Estudo de Investidores Globais (GIS) 2019 da Schroders, que recolheu a opinião de mais de 25.000 investidores em 30 países. Sugerem que, embora a Geração X lidere a tendência, a maioria dos investidores considera fatores de sustentabilidade quando investe.

Os meus investimentos podem ter impacto?

A maioria dos investidores afirma pensar que os seus investimentos individuais podem ter um impacto direto em contribuir para um mundo mais sustentável.

Mais uma vez, a Geração X lidera a tendência. Quase dois terços (64%) acreditam que os seus investimentos podem ter um impacto direto, comparativamente com 60% da Geração Y. Entre os Baby Boomers a percentagem é de 57% e é de metade (50%) para a Geração Silenciosa. A média geral é de 60%.

Há também uma pressão significativa para que todos os fundos de investimento considerem fatores de sustentabilidade, vulgarmente descritos como ESG – fatores ambientais, sociais e de governo, não apenas os especificamente concebidos como “fundos de investimento sustentáveis”.

Leia mais sobre o Estudo de Investidores Globais 2019

Quase dois terços da Geração X (65%) concordam que todos os fundos de investimento devem considerar fatores de sustentabilidade, comparativamente com 60% da Geração Y.

Talvez surpreendentemente, os Baby Boomers (62%) desejam-no mais do que a Geração Y. A percentagem é de 56% para a Geração Silenciosa. A média é de 61%.

Geração X mais motivada para investir de forma sustentável

CS1778_T2_Article1_PTPT.jpg

O estudo também mostra preocupação entre a Geração X quanto às alterações climáticas. Mais de dois terços (67%) da Geração X pensam que as alterações climáticas estão a ter ou terão um impacto sobre os seus investimentos. Isto é mais do que entre a Geração Y (64%), os Baby Boomers (58%) e a Geração Silenciosa (51%). A média global para todos os investidores é (63%).

Por que é que a Geração X está a marcar a tendência?

Jessica Ground, Diretora Global de Gestão de Recursos na Schroders, afirmou: “Foi impossível não reparar no clamor sobre as alterações climáticas das gerações mais jovens no ano passado. Greta Thunberg, a militante de 16 anos, liderou o movimento em nome da Geração Y, fazendo manchetes em todo o mundo com os seus protestos.

“As pessoas podem facilmente supor que são sempre as gerações mais jovens que estão mais preocupadas em investir de forma sustentável.

“A nossa pesquisa desafia essa suposição. Entre os investidores, é na verdade a Geração X que agora mostra a maior preocupação.

“Talvez isso se deva à publicidade gerada por Greta e outros, com os pais dessa geração a repararem no assunto. Seja qual for a razão, há uma enorme onda de pessoas nos seus quarenta a pouparem bastante para o seu futuro e para as suas reformas. Os gestores de fundos que investem em nome desses investidores devem tomar nota das suas preocupações e certificarem-se de que o seu dinheiro é investido da forma que eles pretendem.”

A Schroders encomendou à Research Plus Ltd a realização de um inquérito online independente a 25.743 investidores em 32 locais em todo o mundo, com trabalho de campo realizado entre 4 de abril e 7 de maio de 2019. Este estudo define "investidores" como aqueles que investirão pelo menos 10.000 euros (ou o equivalente) nos próximos 12 meses e que fizeram alterações nos seus investimentos nos últimos 10 anos. Estas pessoas representam as opiniões dos investidores em cada país incluído no estudo.