Declaração da Schroders sobre a Ucrânia

Toda a equipa da Schroders está chocada, e profundamente entristecida, com a invasão russa da Ucrânia. Os nossos pensamentos estão os milhões de pessoas afectadas, que incluem alguns dos nossos colaboradores, bem como as suas famílias e amigos.

A nossa exposição à Rússia, Bielorrússia e Ucrânia é residual, em menos de 0,1% dos activos sob gestão e não pretendemos investir em acções russas ou bielorrussas num futuro próximo. Iremos acompanhar a situação de perto e continuaremos a tomar decisões de investimento para proteger os interesses dos nossos clientes.

Os mercados russos foram suspensos. Actualmente o nosso foco é examinar as nossas participações não russas para compreender como estão a gerir os seus negócios na Rússia, Bielorrússia e Ucrânia, as suas cadeias de abastecimento e consequentes limitações operativas. Estamos a colaborar com essas empresas para assegurar que estão a responder adequadamente à crise actual.

Para além da tragédia humana, esta terrível situação terá implicações comerciais significativas a longo prazo que estamos a analisar. É provável que o fornecimento de energia à Europa seja dramaticamente diferente, que o aumento do preço do petróleo tenha impacto nas expectativas de inflação, enquanto as cadeias de fornecimento globais em numerosas indústrias terão de ser redireccionadas. Precisamos de empenhar-nos nestas questões e em muitas outras, com o objectivo de satisfazer as expectativas dos nossos clientes sobre o ESG e gerir mais eficazmente as suas carteiras.

Finalmente, as equipas da Schroders preocupam-se profundamente com o que está a acontecer. Neste sentido, fizemos uma doação significativa para apoiar a Cruz Vermelha, uma vez que esta procura fornecer alimentos, medicamentos e abrigo ao povo da Ucrânia. Iremos igualmente duplicar as doações feitas através do nosso sistema de donativos para funcionários.

Nestes tempos difíceis, os nossos pensamentos permanecem com a Ucrânia e o seu povo.